Eventos da PÓS-GRADUAÇÃO/CEFOR/CÂMARA DOS DEPUTADOS, X Jornada de Pesquisa e Extensão

Tamanho da fonte: 
DESINFORMAÇÃO E MÍDIAS DIGITAIS: MUDANÇAS DE CONFIGURAÇÃO E ANÁLISE DE INDICADORES DE INTERAÇÃO VIRTUAL
Francisco Helio Cavalcante Felix

Última alteração: 2019-07-03

Resumo


Por desinformação, entende-se a construção de uma narrativa com arremedo de verossimilhança e que tenha conteúdo que induza a um juízo de valor viciado e sem aderência à realidade. O aparecimento da rede mundial de computadores e das redes sociais mudaram a conformação da criação e da difusão de informações manipuladas no século XXI. O objetivo do presente trabalho é analisar a rápida transformação da dinâmica de desinformação nas redes sociais, a partir das características de dois casos singulares ligados a eleições brasileiras, com intervalo de alguns anos entre eles. Para se evitar a análise do mérito de seus conteúdos, foram escolhidos episódios confirmados como desinformação pelos próprios profissionais criadores do conteúdo enviesado ou por grupos de fact-checking considerados idôneos. Foram utilizados indicadores do Google Trends, do mecanismo de busca avançada da rede Twitter e do projeto Eleições Sem Fake da Universidade Federal de Minas Gerais, além de pesquisa bibliográfica e de documentos. A análise revela como a desinformação está presente em embates políticos e tem repercussões fáticas que sugerem um elevado grau de importância em tais ocasiões. Sua configuração atual é consectária da estrutura e da importância das novas tecnologias de interação social e parece estar em constante mudança, em consonância com a notável fluidez no aparecimento de novos meios de relacionamento virtual interpessoal.


Palavras-chave


Desinformação; Eleições; Redes sociais.

Texto completo: PDF