Eventos da PÓS-GRADUAÇÃO/CEFOR/CÂMARA DOS DEPUTADOS, VIII JORNADA DE PESQUISA E EXTENSÃO

Tamanho da fonte: 
INFÂNCIA E TOLERÂNCIA: DESAFIOS DA PARTICIPAÇÃO NA EDUCAÇÃO PARA A DEMOCRACIA
Ana Marusia Pinheiro Lima Meneguin

Última alteração: 2017-09-15

Resumo


A educação tem sido apontada como fundamental para o letramento político e o engajamento cívico dos cidadãos na democracia. Ainda que em ambiente de aprendizado, a participação infantojuvenil deve ser efetiva, a fim de desenvolver o senso de agência e de responsabilidade que serão imprescindíveis na cidadania adulta. No entanto, ao se abrirem os espaços de debate, deve-se esperar o surgimento controvérsias, incluindo, paradoxalmente, atitudes antidemocráticas. Quando se está lidando com crianças, essa questão torna-se ainda mais problemática. O que deve ou não ser tolerado quando se fala em educação para a democracia? Para responder a essa questão, o presente trabalho divide-se em duas partes. A primeira faz a revisão bibliográfica dos conceitos de tolerância e sua necessidade nas democracias recentes, com os desafios para uma participação reflexiva e crítica (cujos efeitos não são previsíveis) e a discussão do papel dos educadores sobre o que e como deve ser trabalhado na aprendizagem. A segunda parte, empírica, faz a análise de uma iniciativa de participação política infantojuvenil de cunho educativo, promovida pelo Plenarinho, da Câmara dos Deputados. Os resultados mostram que, junto com as recomendações da literatura, as próprias crianças apresentam a chave para lidar com o problema da intolerância.

Palavras-chave


Tolerância; Democracia; Educação para a Democracia; Plenarinho; Participação política infantojuvenil

É necessário inscrever-se na conferência para visualizar os documentos.